Banner Banner

Blog ADCOS
PROFISSIONAL

Entenda os tipos de estrias e como oferecer tratamento

Mais cedo ou mais tarde, todo mundo é acometido por elas: as estrias. Elas podem se apresentar como estrias vermelhas, roxas ou brancas, e costumam surgir nas costas, coxas, braços, barriga, panturrilhas, quadris e seios. Suas causas são diversas: por emagrecimento ou ganho de peso em excesso e repentino, durante a gravidez, crescimento (durante a adolescência) ou até mesmo por fatores genéticos.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBDC), as estrias são lesões decorrentes da distensão da pele, levando à ruptura de fibras elásticas e colágenas que sustentam a pele. Dessa forma, elas se apresentam como lesões lineares, com extensão variável, com cores que variam entre roxo, vermelho e branco.

Muitas pessoas, especialmente mulheres, recorrem a tratamentos em clínicas de estética (ou até mesmo procedimentos cirúrgicos) para eliminar as estrias. Afinal, assim como as celulites, elas têm uma grande influência na autoestima, podendo repercutir negativamente na auto imagem da pessoa que apresenta estas alterações inestéticas. Hoje, a ADCOS Profissional irá te ajudar a identificar os tipos de estrias e qual a melhor forma de oferecer tratamentos para cada uma delas. Continue lendo!

Qual a diferença entre as estrias?

É comum ouvir pessoas dizerem que, quanto mais antiga a estria for, mais difícil é tratá-la. E isso não é mentira. A partir daí, começa a primeira diferenciação: de acordo com a SBDC, quanto mais esbranquiçada a estria for, mais antiga ela é. 

Estrias rosadas e avermelhadas são as mais recentes e, portanto, de maior facilidade de tratamento. Isso ocorre porque ainda há sangue circulando no local e, assim, o tecido ainda não foi totalmente prejudicado. Quando as estrias são arroxeadas, largas e profundas, elas necessitam passar por procedimentos para estimular o preenchimento de dentro para fora.

Como oferecer tratamento para estrias?

Algumas formas de tratamento estão disponíveis para os profissionais da estética oferecerem em suas clínicas, que vão desde a utilização de soluções com ativos de ação preenchedora, recuperadora e estimuladores de colágeno, até luz pulsada e microagulhamento

Laser fracionado

Para realizar esse método de tratamento, os feixes de luz são direcionados para a estria, penetrando na pele. Com isso, é estimulada a produção de colágeno e elastina, acelerando o processo de cicatrização. É possível ter uma melhora de até 30% da aparência das lesões em apenas uma sessão. E, com o tratamento completo, a melhoria pode chegar a 80%. É indicado para estrias brancas, superficiais e estreitas.

Peeling

É possível tratar estrias com peeling químico, por meio de ácidos e esfoliantes, como ácido glicólico, através da remoção da camada superficial da pele e posterior regeneração. Com a pele higienizada, o(a) profissional deve distribuir uma quantidade do produto na região a ser tratada, realizando movimentos leves ou apenas deixando agir por até 10 minutos, seguindo uma rigorosa anamnese. 

Microagulhamento

Nós fizemos um post especial sobre microagulhamento e tratamentos faciais que auxiliam na produção de colágeno, que você pode conferir clicando aqui. E, tratando-se de estrias, a ideia é a mesma. O microagulhamento promove microfuros que facilitam a permeação de ativos de maneira eficiente. As microlesões causadas durante esse tratamento geram um processo inflamatório que, por sua vez, melhora em 80% a textura e coloração da estria. Esse tratamento é indicado para estrias vermelhas e arroxeadas, mas também pode ser utilizado nas brancas, superficiais e estreitas.

#DicaProfissional: Invista no Kit Concentrado Para Estrias!

Desenvolvido exclusivamente para tratamentos de estrias e cicatrizes, o Kit Concentrado Para Estrias possui microcolágeno em sua fórmula. Com ação estimulante, aumenta em 550% a produção de colágeno (especialmente tipo 1). Além disso, possui capacidade de regeneração de estrias e preenche cicatrizes por meio de sua ação redensificadora, aumentando a espessura epidérmica e normalizando o relevo cutâneo. Com isso, melhora a textura da pele, normaliza a coloração e previne o aparecimento de tecido fibrótico.

Para preservar sua elasticidade, conta, ainda, com o princípio ativo Elastcream (complexo Anti-Elastase), com um blend concentrado de frações flavonóidicas de espécies vegetais: flor de maracujá, cassis, e folha de uva. Ricas em flavonóides, esse ativo possui ação altamente protetora para o sistema de elasticidade da pele, favorecendo a hidratação, tonificação, cicatrização e prevenção da flacidez.

Add Your Comment

Receba promoções, novidades e dicas Exclusivas para seus tratamentos.